Você conhece o Nuno Jorge?

[:pb]Nuno02

Conheci o Nuno numa trilha em Mairiporã (interior de SP) com o MET´S . Rapaz doce, muito educado e bom papo. Nos tornamos bons amigos. Fizemos muitas trilhas bacanas por ai e tenho certeza de que vamos passear muito mais por este mundo.

Abaixo, compartilho com vocês uma pequena entrevista com este fantástico ciclista!

Você aprendeu a andar de bicicleta com quantos anos?
Ganhei minha primeira bicicleta com 6 anos e no mesmo dia aprendi a andar.

Quando você veio morar no Brasil, onde encontrou a sua turma de bike?
Conheci primeiramente a Claudia Franco e o Marcelo Ruivo, do projeto Ciclofemini, que me levaram à minha primeira competição no Brasil e me introduziram na Tribo do Pedal Selvagem, em Mairiporã, do Mazinho. Também através de um amigo, o Guilherme Viggiani, conheci o grupo Mets, do Zelito Oliveira.

Fiz vários passeios com esses grupos e comecei a fazer amigos e conhecer as belas trilhas do interior de São Paulo. Algum tempo depois, sabendo que em Mairiporã concentravam-se vários bons ciclistas que treinavam com o objetivo de participar de competições, me apresentei a alguns deles. Entre eles estavam o Mataraia e a Renatinha, que trataram de me apresentar ao restante do grupo. Então, conheci o Pablo, um argentino, com quem de imediato comecei a estabelecer parceria para corridas nacionais e internacionais e também com o objetivo de divulgar o trabalho da ONG Orphans Africa (http://orphansafrica.org/), que ajuda na educação de órfãos na Tanzânia.

O que você prefere: Mountain Bike ou Speed?
O meu desporto é o Mountain bike, speed é uma consequência do treinamento. De qualquer forma adoro bicicletas, independentemente do estilo.

Quando você começou a treinar para competições? Em 2003.

De quais competições você já participou?
Várias… a nível nacional e regional, inclusive em Portugal. Já participei do GP Ravelli, Campeonato Paulista de MTB, Campeonato Interestadual; as chamadas ultramaratonas, que são provas longas de vários dias, como o Hakka MTB 4, na região da Serra da Mantiqueira; o Brasil Ride, na Chapada Diamantina; o Cape Epic, na África do Sul; o Transportugal; e o Alpac Attack, na Patagônia argentina e chilena.

Qual é a frequência de treinos? 6 a 7 dias por semana.

Quais são as dicas para quem está começando a pedalar?
A principal dica é: divirta-se pedalando! Tente conhecer o maior número de pessoas que nutrem o mesmo gosto pela bicicleta e descubra o incrível potencial que a bicicleta tem de nos levar a lugares incríveis, que de outra forma nunca iríamos conhecer.

Qual foi a lição mais importante que a bicicleta trouxe para a sua vida?
A bicicleta é um meio de integração. Cheguei em 2011 em São Paulo, a trabalho, e não conhecia ninguém. Sentia-me sozinho em uma cidade com tantos milhões de pessoas. Pouco a pouco, por meio da bicicleta, encontrei a minha tribo, os meus amigos e a mulher que tanto amo!

Nuno Jorge é português, responsável regional de empresa ferroviária , ciclista amador e atleta integrante do Orphans Africa MTB Team.[:en]Nuno02

Conheci o Nuno numa trilha em Mairiporã (interior de SP) com o MET´S . Rapaz doce, muito educado e bom papo. Nos tornamos bons amigos. Fizemos muitas trilhas bacanas por ai e tenho certeza de que vamos passear muito mais por este mundo.

Abaixo, compartilho com vocês uma pequena entrevista com este fantástico ciclista!

Você aprendeu a andar de bicicleta com quantos anos?
Ganhei minha primeira bicicleta com 6 anos e no mesmo dia aprendi a andar.

Quando você veio morar no Brasil, onde encontrou a sua turma de bike?
Conheci primeiramente a Claudia Franco e o Marcelo Ruivo, do projeto Ciclofemini, que me levaram à minha primeira competição no Brasil e me introduziram na Tribo do Pedal Selvagem, em Mairiporã, do Mazinho. Também através de um amigo, o Guilherme Viggiani, conheci o grupo Mets, do Zelito Oliveira.

Fiz vários passeios com esses grupos e comecei a fazer amigos e conhecer as belas trilhas do interior de São Paulo. Algum tempo depois, sabendo que em Mairiporã concentravam-se vários bons ciclistas que treinavam com o objetivo de participar de competições, me apresentei a alguns deles. Entre eles estavam o Mataraia e a Renatinha, que trataram de me apresentar ao restante do grupo. Então, conheci o Pablo, um argentino, com quem de imediato comecei a estabelecer parceria para corridas nacionais e internacionais e também com o objetivo de divulgar o trabalho da ONG Orphans Africa (http://orphansafrica.org/), que ajuda na educação de órfãos na Tanzânia.

O que você prefere: Mountain Bike ou Speed?
O meu desporto é o Mountain bike, speed é uma consequência do treinamento. De qualquer forma adoro bicicletas, independentemente do estilo.

Quando você começou a treinar para competições? Em 2003.

De quais competições você já participou?
Várias… a nível nacional e regional, inclusive em Portugal. Já participei do GP Ravelli, Campeonato Paulista de MTB, Campeonato Interestadual; as chamadas ultramaratonas, que são provas longas de vários dias, como o Hakka MTB 4, na região da Serra da Mantiqueira; o Brasil Ride, na Chapada Diamantina; o Cape Epic, na África do Sul; o Transportugal; e o Alpac Attack, na Patagônia argentina e chilena.

Qual é a frequência de treinos? 6 a 7 dias por semana.

Quais são as dicas para quem está começando a pedalar?
A principal dica é: divirta-se pedalando! Tente conhecer o maior número de pessoas que nutrem o mesmo gosto pela bicicleta e descubra o incrível potencial que a bicicleta tem de nos levar a lugares incríveis, que de outra forma nunca iríamos conhecer.

Qual foi a lição mais importante que a bicicleta trouxe para a sua vida?
A bicicleta é um meio de integração. Cheguei em 2011 em São Paulo, a trabalho, e não conhecia ninguém. Sentia-me sozinho em uma cidade com tantos milhões de pessoas. Pouco a pouco, por meio da bicicleta, encontrei a minha tribo, os meus amigos e a mulher que tanto amo!

Nuno Jorge é português, responsável regional de empresa ferroviária , ciclista amador e atleta integrante do Orphans Africa MTB Team.[:es]Nuno02

Conheci o Nuno numa trilha em Mairiporã (interior de SP) com o MET´S . Rapaz doce, muito educado e bom papo. Nos tornamos bons amigos. Fizemos muitas trilhas bacanas por ai e tenho certeza de que vamos passear muito mais por este mundo.

Abaixo, compartilho com vocês uma pequena entrevista com este fantástico ciclista!

Você aprendeu a andar de bicicleta com quantos anos?
Ganhei minha primeira bicicleta com 6 anos e no mesmo dia aprendi a andar.

Quando você veio morar no Brasil, onde encontrou a sua turma de bike?
Conheci primeiramente a Claudia Franco e o Marcelo Ruivo, do projeto Ciclofemini, que me levaram à minha primeira competição no Brasil e me introduziram na Tribo do Pedal Selvagem, em Mairiporã, do Mazinho. Também através de um amigo, o Guilherme Viggiani, conheci o grupo Mets, do Zelito Oliveira.

Fiz vários passeios com esses grupos e comecei a fazer amigos e conhecer as belas trilhas do interior de São Paulo. Algum tempo depois, sabendo que em Mairiporã concentravam-se vários bons ciclistas que treinavam com o objetivo de participar de competições, me apresentei a alguns deles. Entre eles estavam o Mataraia e a Renatinha, que trataram de me apresentar ao restante do grupo. Então, conheci o Pablo, um argentino, com quem de imediato comecei a estabelecer parceria para corridas nacionais e internacionais e também com o objetivo de divulgar o trabalho da ONG Orphans Africa (http://orphansafrica.org/), que ajuda na educação de órfãos na Tanzânia.

O que você prefere: Mountain Bike ou Speed?
O meu desporto é o Mountain bike, speed é uma consequência do treinamento. De qualquer forma adoro bicicletas, independentemente do estilo.

Quando você começou a treinar para competições? Em 2003.

De quais competições você já participou?
Várias… a nível nacional e regional, inclusive em Portugal. Já participei do GP Ravelli, Campeonato Paulista de MTB, Campeonato Interestadual; as chamadas ultramaratonas, que são provas longas de vários dias, como o Hakka MTB 4, na região da Serra da Mantiqueira; o Brasil Ride, na Chapada Diamantina; o Cape Epic, na África do Sul; o Transportugal; e o Alpac Attack, na Patagônia argentina e chilena.

Qual é a frequência de treinos? 6 a 7 dias por semana.

Quais são as dicas para quem está começando a pedalar?
A principal dica é: divirta-se pedalando! Tente conhecer o maior número de pessoas que nutrem o mesmo gosto pela bicicleta e descubra o incrível potencial que a bicicleta tem de nos levar a lugares incríveis, que de outra forma nunca iríamos conhecer.

Qual foi a lição mais importante que a bicicleta trouxe para a sua vida?
A bicicleta é um meio de integração. Cheguei em 2011 em São Paulo, a trabalho, e não conhecia ninguém. Sentia-me sozinho em uma cidade com tantos milhões de pessoas. Pouco a pouco, por meio da bicicleta, encontrei a minha tribo, os meus amigos e a mulher que tanto amo!

Nuno Jorge é português, responsável regional de empresa ferroviária , ciclista amador e atleta integrante do Orphans Africa MTB Team.[:]

Você conhece o Nuno Jorge?

Lendas do caminho de Santiago de Compostela – Santo Domingo de la Calzada

Você conhece o Nuno Jorge?

Um estado de espírito – valeu Tuca!

Mais novo

Publique um comentário